Cúpula da CPI decide retirar referência a genocídio de indígenas de relatório final


Encontro entre os senadores decidiu também não imputar a Bolsonaro o crime de homicídio qualificado

Cúpula da CPI decide retirar referência a genocídio de indígenas de relatório final

Foto: Isac Nóbrega/PR

Por: Metro1

O grupo majoritário da CPI da Covid no Senado, conhecido como G7, decidiu nesta quarta-feira (20) não enquadrar o presidente Jair Bolsonaro no crime de genocídio de indígenas. A informação foi divulgada pelo presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM).

“O genocídio não era consenso, não havia consenso de ninguém, entre juristas não havia consenso. Entre nós senadores, eu mesmo disse que tinha que ser convencido. O mais importante dessa reunião é que saímos unificados”, afirmou Aziz, presidente da CPI.

O encontro entre os senadores decidiu também não imputar a Bolsonaro o crime de homicídio qualificado. Com isso, a quantidade de crimes em que o chefe de estado é citado caiu para 9. Já o senador e filho do presidente Flávio Bolsonaro teve o crime de advocacia administrativa retirado do relatório.